segunda-feira, 5 de junho de 2017

Programação de 06 a 11 de junho



Uma grande oportunidade para relembrar que "A Vida é Bela" chega na tela do Cine essa semana. A "Mostra Italiana", que tem curadoria de Lucas de Assis, fica em cartaz durante oito dias no cinema e tem uma programação que traz inúmeros clássicos que foram produções italianas ou trabalhos conjuntos com outros países.

A diversidade de histórias é um dos grandes diferenciais dessa mostra, os filmes escolhidos trabalham com diferentes cenários e personagens. Você vai se apaixonar pelo cinema visto pelos olhos de uma criança, acompanhar a decadência de uma família nobre do século 19, fazer parte de um exército em guerra e muitas outras histórias.

Além da mostra, o cinema abre suas portas para que a Liga Acadêmica de Práticas Integrativas e Saúde Simétrica (LAPISS), da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), possa promover um debate sobre a produção de alimentos e a regeneração natural de florestas, mais conhecida como Agricultura Sintrópica. O documentário "Da horta à floresta", produzido por Dayana Andrade e Felipe Pasini, norteara a conversa que acontece no dia 07 de junho.

No dia 08 de junho, o Departamento de Museologia da Ufop nos convida para o primeiro "Fabulações Museológicas". O projeto é resultado de um laboratório interdisciplinar sobre as dimensões práticas  e teóricas dos museus.  No mesmo dia, o Cinemas em Rede promove um debate com o diretor Zelito Viana, que realizou o documentário "Augusto Boal e o Teatro do Oprimido".

A "Mostra Italiana" tem inicio no dia 09 e fica em cartaz até o dia 17 de junho, a Mostra Gratuita Infantil continua durante os finais de semana e as entradas para todas as sessões são gratuitas e podem ser retiradas na bilheteria do cinema, sempre com uma hora de antecedência. O Cine Vila Rica fica na Praça Reinaldo Alves de Brito, 47, no Centro de Ouro Preto.


06/05 - Terça

18h – A lista de Schindler


Schindler's List | 14 anos | Histórico, Drama, Guerra, Biografia | EUA | 1993 | 3h 15min

A inusitada história de Oskar Schindler (Liam Neeson), um sujeito oportunista, sedutor, "armador", simpático, comerciante no mercado negro, mas, acima de tudo, um homem que se relacionava muito bem com o regime nazista, tanto que era membro do próprio Partido Nazista (o que não o impediu de ser preso algumas vezes, mas sempre o libertavam rapidamente, em razão dos seus contatos). No entanto, apesar dos seus defeitos, ele amava o ser humano e assim fez o impossível, a ponto de perder a sua fortuna mas conseguir salvar mais de mil judeus dos campos de concentração.

Direção: Steven Spielberg
Elenco: Liam Neeson, Ben Kingsley, Ralph Fiennes e mais
Fonte: adorocinema.com

07/06 - Quarta

Cine Debate

19h – Da horta à floresta

A Liga Acadêmica de Práticas Integrativas e Saúde Simétrica (LAPISS) da Universidade Federal de Ouro Preto, convida toda a comunidade para o cine debate: Da horta à floresta.


No documentário "Da horta à floresta", produzido por Dayana Andrade e Felipe Pasini, são apresentados os sítios de Juã e de Rômulo, no Distrito Federal, em que ambos colocam em prática a agricultura sintrópica de Ernst Götsch. Trabalhando com agroflorestas, os dois agricultores "ajudam" a natureza a otimizar seus processos. O resultado é a recuperação de áreas extremamente degradadas e a produção econômica significativa, mais eficiente que os plantios orgânicos convencionais.

Ernst Götsch é um agricultor e pesquisador suíço que migrou para o Brasil no começo da década de 1980 e se estabeleceu em uma fazenda na zona cacaueira do sul da Bahia. Desde então, vem desenvolvendo técnicas de recuperação de solos por meio de métodos de plantio que mimetizam a regeneração natural de florestas.

Com o acúmulo de mais de três décadas de trabalho que resultaram na recomposição de 410 hectares de terras degradadas (dos quais 350 foram transformados em RPPN, a primeira da Bahia), Götsch elaborou um conjunto de princípios e técnicas que viabilizam integrar produção de alimentos à dinâmica de regeneração natural de florestas, sempre complexificando sistemas, ao que convencionou chamar de Agricultura Sintrópica (ANDRADE, PASINI, 2014).


08/06 – Quinta

Fabulações Museológicas

15h – A Arca Russa



Convidamos a todos para a primeira atividade das "Fabulações Museológicas", projeto do Departamento de Museologia da UFOP, coordenado pelos Profs. Mannuella Luz e Fabio Hering! Na próxima quinta-feira, dia 08/06/2017, no horário das 15:00 às 18:00hs, faremos uma sessão comentada do filme Arca Russa, de Aleksandr Sokúrov. Mais informações sobre o filme em http://www.planocritico.com/critica-arca-russa/ e https://tvuol.uol.com.br/video/57745/

Fabulações Museológicas é um laboratório interdisciplinar de reflexão sobre as dimensões práticas e teóricas dos museus, tomando a materialidade do mundo e as diferentes linguagens como objetos de reflexão. Outras atividades virão!

Cinemas em Rede
Debate com o diretor

19h – Augusto Boal e o Teatro do Oprimido, de Zelito Viana

Livre | Documentário | Brasil | 2010 | 1h 02min


Para a educação das emoções

Premiado com o Margarida de Prata deste ano, o documentário Augusto Boal e o Teatro do Oprimido, de Zelito Viana, nos apresenta o retrato de um pensamento educativo de grande potência que faz da dramaturgia teatral um elemento de transformação do ser humano. Já o beato José de Anchieta utilizou essa técnica de comunicação no trabalho de evangelização dos índios no Brasil. O filme do Zelito Viana focaliza, entre outros, três aspectos fundamentais da invenção de Augusto Boal. O primeiro é aquele que opõe opressor e oprimido. Na verdade, nas relações humanas do dia-a-dia ora ocupamos um papel ora outro. Significa dizer que em cada um de nós essas situações estão presentes de forma consciente ou não. Deste ponto de vista, o ator que todos somos representa essa condição nos diferentes espaços da vida cotidiana. Isso fica mais claro quando esse processo está inserido numa instituição, e mais ainda, no campo da escola formal. Aliás, a experiência do Teatro do Oprimido, apresentada no filme, numa escola municipal do Rio de Janeiro é muito clarificadora da nova consciência resultante da ação teatral. É algo que muda o comportamento.

O segundo foco diz respeito à cultura da paz e da solidariedade. Essa metodologia teatral aponta para uma nova sociedade possível, em que o entendimento supera o conflito. Não cai no vazio. Produz um sentido novo para a vida coletiva. E, por fim, um terceiro aspecto desse filme de Zelito Viana, é a importância política e existencial do Teatro do Oprimido como um valor universal. Preciosas imagens de seu método, aplicado em várias regiões do mundo, não apenas ilustram o conteúdo e a proposta do teatrólogo, mas revelam o sentido mais amplo dos resultados na vida e na consciência das pessoas e movimentos de libertação tanto de si e como das circunstâncias sócio-políticas do mundo em vivemos.

O Teatro do Oprimido é uma técnica artística de plena atualidade. Continua sendo aplicada, mesmo depois da morte do autor. Trata-se de uma obra que fica não apenas como uma herança, mas como um motor de transformação de valores e concepções de vida. Sua atualidade impressiona pela capacidade de adaptação ao ensino dos modos de existir das pessoas e das sociedades.

A força transformadora do Teatro do Oprimido é o centro do documentário de Zelito Viana, e, Augusto Boal, um inovador da arte de representar a si e ao outro, em encenações de grande impacto para ambos. O objetivo de Boal sempre foi educar os sentimentos e emoções para iluminar a razão que opera no mundo racional em que vivemos, através dos valores da justiça e da paz.

Miguel Pereira – Professor da PUC-Rio e crítico de cinema

09/06 - Sexta

Mostra Italiana – Parte I



18h – Três homens em conflito

Il Buono, il brutto, il cativo | 14 anos | Faroeste | Espanha, Itália | 1966 | 3h 00min

Em meio à Guerra Civil Americana, três homens fazem de tudo para colocar as mãos em 200 mil dólares roubados.

Direção: Sergio Leone
Elenco: Clint Eastwood, Eli Wallach, Lee Van Cleef e mais
Fonte: adorocinema.com

10/06 - Sábado



16h - Os Boxtrolls - Sessão Infantil

The Boxtrolls | Livre | Aventura, Família, Animação, Fantasia | EUA | 2014 | 1h 37min

Ovo é um garoto órfão, que desde bebê foi criado nos esgotos da cidade de Ponte Queijo pelos boxtrolls, amáveis criaturas que vivem do lixo deixado por humanos. Como os boxtrolls são caçados impiedosamente por Archibald Snatcher e sua gangue, eles apenas deixam o subterrâneo à noite e, ainda assim, de vez em quando um deles é capturado. Quando Peixe, o boxtroll que criou Ovo, é pego, o garoto decide se aventurar pela cidade para resgatá-lo. É quando conhece Winnie, uma garota mimada que faz com que perceba que ele é, na verdade, um humano.


Direção: Graham Annable, Anthony Stacchi
Fonte: adorocinema.com

18h – O Leopardo


Il Gattopardo | 12 anos | Histórico, Drama, Guerra | França, Itália | 1963 | 3h 25min

1860, Sicília. Durante o período do "Risorgimento", o conturbado processo de unificação italiana, o príncipe Don Fabrizio Salina (Burt Lancaster) testemunha a decadência da nobreza e a ascensão da burguesia. Num cenário caótico de fortes contradições políticas, ele luta para manter seus valores.

Direção: Luchino Visconti
Elenco: Burt Lancaster, Romolo Valli, Terence Hill e mais
Fonte: adorocinema.com

NESTE DIA, EXCEPCIONALMENTE, NÃO EXIBIREMOS A SESSÃO DAS 20H. O FILME ZUMBI 2 - A VOLTA DOS MORTOS FOI TRANSFERIDO PARA A PRÓXIMA TERÇA, 13 DE JUNHO, ÀS 21H.
PEDIMOS DESCULPAS PELO OCORRIDO.

11/06 - Domingo



16h - Operação Big Hero - Sessão infantil


Big Hero 6 | Livre | Aventura, Animação, Família | EUA | 2014 | 1h 42min

Cidade de San Fransokyo, Estados Unidos. Hiro Hamada é um garoto prodígio que, aos 13 anos, criou um poderoso robô para participar de lutas clandestinas, onde tenta ganhar um bom dinheiro. Seu irmão, Tadashi, deseja atraí-lo para algo mais útil e resolve levá-lo até o laboratório onde trabalha, que está repleto de invenções. Hiro conhece os amigos de Tadashi e logo se interessa em estudar ali. Para tanto ele precisa fazer a apresentação de uma grande invenção, de forma a convencer o professor Callahan a matriculá-lo. Entretanto, as coisas não saem como ele imaginava e Hiro, deprimido, encontra auxílio inesperado através do robô inflável Baymax, criado pelo irmão.


Direção: Don Hall
Fonte: adorocinema.com

18h – A vida é bela


La vita è bella | Livre | Drama, Comédia, Guerra | Itália | 1999 | 1h 57min

Durante a Segunda Guerra Mundial na Itália, o judeu Guido (Roberto Benigni) e seu filho Giosué são levados para um campo de concentração nazista. Afastado da mulher, ele tem que usar sua imaginação para fazer o menino acreditar que estão participando de uma grande brincadeira, com o intuito de protegê-lo do terror e da violência que os cercam.

Direção: Roberto Benigni
Elenco: Roberto Benigni, Horst Buchholz, Marisa Paredes e mais
Fonte: adorocinema.com

20h – Cinema Paradiso


Nuovo cinema Paradiso | 14 anos | Comédia dramática | Itália, França | 1988 | 2h 04min

Nos anos que antecederam a chegada da televisão em uma pequena cidade da Sicília, o garoto Toto (Salvatore Cascio) ficou hipnotizado pelo cinema local e iniciou uma amizade com Alfredo (Philippe Noiret), projecionista que se irritava com certa facilidade, mas tinha um enorme coração. Todos estes acontecimentos chegam em forma de lembrança quando Toto (Jacques Perrin), agora um um cineasta de sucesso, recebe a notícia de que Alfredo faleceu.

Direção: Giuseppe Tornatore
Elenco: Philippe Noiret, Jacques Perrin, Salvatore Cascio e mais
Fonte: adorocinema.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário